Seguidores

terça-feira, 30 de outubro de 2012

QUANDO DEUS BRINCA COM O HOMEM DE “PEGA PEGA/PIQUE ESCONDE”

Por Alberto Couto Filho

Oi gente,
Duma feita, escreveu-me o nobre Newton Carpintero, meu dileto “menorzão”:
“O sentimento de Deus é racional, com notável equilíbrio matemático”.
Foi como voltasse aos bancos escolares, aos ensinos da Matemática, àqueles professores horrorosos, sem-graça, chatos “pra dedéu” – ali estava um Teorema!
A meu ver, ali estava uma proposição, “ni minimis”, paradoxal, pois o insólito chocava-se ou confundia-se com a habitualidade com que se ouve dizer que o Criador era/é um demiurgo matemático. Urgia, por isto mesmo, a necessidade de uma nova proposição, um Corolário, quem sabe, que demonstrasse a evidência do “Teorema” do Newton, não o Isaac, mas o Carpintero da Flórida.
Curioso, inquiri meu teclado: Que qu’é isso, meu Deus? Quero sentido, explicação; quem pode provar esse “equilíbrio matemático”? Onde o encontro?
Graças a Deus!  Bem que o Dr. Lucas me disse: Pedi e dar-se-vos-á; buscai e achareis...
Eureka!
Recebi o que entendi de Deus como o Corolário pedido. Encontrei, num “quase-silogismo-assertórico-apodítico” (o que é isto?), uma conclusão lógico-bíblica, com suas duas premissas,  verdadeiras por sua evidência e possibilidade de ser demonstradas. Vejam:

O texto abaixo foi publicado, recentemente, no Blog “Glorioso Jesus”, da abençoamada Isabel Menezes, menina dos olhos do Senhor, cuidada e alimentada por ELE; mulher virtuosa cujos vestidos são a sua força e a sua dignidade. Esta ditosa mulher escreve com sabedoria e da sua pena saem instruções de bondade.
Edificação? Santificação?
Recebam-nas, lendo os textos magníficos da não menos magnífica irmã Isabel.
Depressa! Andem logo! Visitem aquela página!

 

Cada um é único

Por Isabel Menezes


Mas um só e o mesmo Espírito opera todas estas coisas, repartindo particularmente a cada um como quer - 1 Coríntios 12:11 
Mas, quando vier aquele Espírito de verdade, ele vos guiará em toda a verdade; porque não falará de si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido, e vos anunciará o que há de vir. João 16:13

Ele guiará a cada um; para cada um, Ele anunciará coisas grandes; Com um cuidado especial, mostrará para cada um, que Ele ouve, e Ele vai responder, e declarar as Suas maravilhas, distribuindo a cada um, individualmente, como Ele quer, os Seus dons. Aleluia!!!!!!!

 

Os dois aforismos que encerram “máximas”: sentenças bíblicas que são certezas quanto à distribuição dos Dons Ministeriais e à Missão do Consolador, fundem-se no que Isabel enuncia, a seguir: a verdade, o irrefutável, expresso verbalmente num juízo apodítico inerente àquela Missão; ao que Deus fará, mesmo porque não é homem para mentir.

O conjunto formado por aqueles textos bíblicos definem um pequeno sistema axiomático em que simples verdades são demonstradas como axiomáticas, ié, afirmações gerais aceitas como evidentes e indiscutíveis, de acordo com Euclides, um matemático famoso.                  

Nas ciências exatas, como a Matemática e a Física, esses sistemas axiomáticos desempenham papéis preponderantes. Leis e Teoremas resultam das várias Teorias formuladas a partir dessas ciências.

 

Em dezembro de 2010 esteve aqui no IMPA (Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada) o premiadíssimo, contempladíssimo e famosíssimo Michael Atihyah, matemático, geômetra, o “cara”ganhador da Medalha Fields, a láurea mais prestigiosa da Matemática. Vejam o que ele disse quanto à busca de uma teoria que venha a oferecer uma síntese entre a Relatividade de Einstein e a Física Quântica – chamam-na de Teoria Matemática do Universo. (Coisa de doidos varridos!):

 

“Deus ama a beleza, o belo e essas teorias retratam o belo. Eu sou o místico e, como vocês sabem, os místicos sintetizam. Disse, sorrindo: deus não jogaria fora a beleza de todas essas teorias para ficar com uma só. não posso garantir que a TMU vá ser encontrada, mas minha intuição diz que sim. É uma linda hipótese e assim deve ser quando se faz uma previsão. Qual a graça em se ter a verdade sob a forma de uma teoria horrorosa? Por que Deus faria o Universo com base em matemática vagabunda? Se n’algum dia concluirmos assim, eu direi apenas que Deus é um péssimo matemático.”

 

Oh céus! Como desassociar a Divindade da Matemática?

Já sei o que fazer! Organizarei uma conferência em que debaterei sobre a fé com cientistas famosos quando discutiremos a relação, por eles aventada, entre Deus e aquela ciência exata. Ao final do encontro, devo posicionar-me quanto àquela relação.

 

Vi-me, então, em uma imaginária conferência, reunido com Arquimedes, Platão, Jacob, Aristóteles, Pitágoras, Gauss, Thomas Edison, Newton, Dirac e outros matemáticos, físicos, filósofos e químicos, dentre cientistas que defendem existir uma relação íntima entre o Criador e a Matemática, dizendo-os análogos. Conosco, também, esteve o nosso Ruy Barbosa, cientista político. Ele também deu o seu pitaco no debate.

 

De Arquimedes, aquele do “Eureka”, ouvimos:

“Meus caros, o que posso dizer? O Centro da Gravidade, a Lei da Alavanca e outros trabalhos de minha autoria, bem como diversos estudos, fizeram com que muitos percebessem que a Matemática é a linguagem do Universo. Portanto, puxando a sardinha para a minha brasa, posso dizer-lhes que o conceito de Deus como um matemático, é oriundo desses meus trabalhos. O seu Universo pode agigantar-se da maneira que a mente humana ou espiritual almejar, e Deus é a Matemática Universal.”

 

Disse-nos Karl F Gauss, matemático e físico:

“Estou disposto a atentar com maior interesse para questões que, além de envolver problemas éticos, estariam nos orientando sobre um melhor relacionamento com Deus, ao invés de discutir questões matemáticas relacionadas com o Criador. Quando soar a nossa última hora, teremos a indizível alegria de ver Aquele que em nosso trabalho, apenas pudemos pressentir, como matemáticos.”

 

Michael Faraday, físico e químico, foi incisivo, curto e grosso:

“Se matemático ou não, pouco importa. Apenas sei que o meu Deus, o meu Redentor está vivo – só confio em certezas. Estou certo de que, por isso, eu também viverei.”

 

Thomaz Edison, inventor, concluiu, dizendo:

“...Tenho um enorme respeito e a mais elevada admiração por todos os engenheiros e matemáticos, especialmente pelo maior deles: DEUS!”

 

Isaac Newton, o famoso físico e matemático, assim se pronunciou:

“Como a Matemática Deus é Eterno. Ele é onisciente, onipresente, onipotente, além de sábio, justo, bom e santo. Devemos crer nele, e somente nele, por tudo isso. Não existem outros deuses além dele. Confiemos em Deus, amando e honrando a sua divindade. Nós devemos temê-lo, orando a Ele, dando-lhe graças; louvando e santificando seu santo nome; cumprindo seus mandamentos e disponde de tempo para honrá-lo em cultos de adoração. Todos aqui conhecem os meus doze artigos sobre Deus e Jesus Cristo.”

 

Ruy Barbosa de Oliveira, filólogo e cientista político, disse:

Nem o ateísmo reflexivo dos filósofos, nem o inconsciente ateísmo dos indiferentes são compatíveis com as qualidades de ação, resistência e disciplina essenciais aos povos livres. Os descrentes, em geral, são fracos e pessimistas, resignados ou rebeldes, agitados ou agitadores. Mas, ainda, não basta crer: é preciso crer definida e ativamente em Deus, isto é, confessá-lo com firmeza e praticá-lo com perseverança.”


Louis Pasteur, microbiólogo e químico, foi taxativo:
“Proclamo Jesus como filho de Deus, em nome da ciência.
O meu espírito cientifico dá grande valor à relação entre causa e efeito, e me compromete a reconhecer que, se ele não o fosse, eu não mais saberia quem ele é. Mas ele é o filho de Deus. Suas palavras são divinas, sua ida é divina, e foi dito com razão que existem equações morais, assim como existem equações matemáticas.”

Paul Dirac, físico, argumentou:
"Deus é um matemático de nível muito elevado que usou a matemática avançada para construir o universo"

Werner Heisenberg ganhador do Prêmio Nobel de Física de 1932, concluiu sua participação:
"O primeiro gole do copo das ciências naturais torna ateu; mas no fundo do copo Deus aguarda." 

John Polkinghorne, físico, teólogo, alertou-nos:
“Cuidado! Deixe-me fazer um aviso teológico de saúde, ou melhor, uma promessa: 'Ler a Bíblia pode mudar sua vida.”

Pitágoras, matemático, geômetra e filósofo, resumiu:
O Número é a substância de todas as coisas. O Número domina o universo. Geometria é o conhecimento da existência eterna.
Eu e meus seguidores não temos dúvidas de que a matemática é real, imutável, onipresente e também a coisa mais elevada que a mente humana pode conceber.
Deus não é um simples matemático - para nós, pitagóricos, a Matemática é DEUS!

Platão, filósofo grego, dentre outras coisas atinentes, disse:
“Deus, o criador de tudo é o demiurgo que muda a aparência da matéria de acordo com seu pensamento. O caráter matemático do mundo é simplesmente uma conseqüência do fato de que "Deus sempre geometriza". Em decorrência, em minha perspectiva a Matemática não pode desassociar-se do divino”.
 
Galileu Galilei nos disse:
 "A Matemática é o alfabeto que Deus usou para escrever o Universo, mas para compreender o Universo é preciso falar esta língua. DEUS, COM CERTEZA, É UM MATEMÁTICO. Na concepção da natureza, Deus falou na linguagem da matemática e se os seres humanos entendessem a ciência usando a linguagem da Matemática, eles poderiam compreender a mente divina. Deixe-me traduzir: Quando uma pessoa encontra uma solução para um problema utilizando a geometria proporcional, a percepção e a compreensão adquiridas são divinas.”

René Descartes, filósofo, matemático. O criador da frase: “Penso, logo existo”, considerou:
“Para mim, Deus criou todas as verdades eternas. As verdades matemáticas que vocês chamam de eternas foram estabelecidas pelo Senhor e dependem inteiramente dele e não da gente. Ele é muito mais que um matemático, no sentido de ser o criador dessa ciência e de um mundo físico que é totalmente baseado nela.”

John David Barrow, físico e matemático, encerrando sua participação, disse laconicamente:
“Mudem Matemática para Deus e verão que quase nada parece mudar.”

Para encerrar este nosso encontro, eu digo a todos, conforme comentei parcialmente no Blog Glorioso Jesus, que eu amo intensamente ao Deus das nossas vidas e, com louvor, formei-me “summa cum laude” em Matemática. 
Eu vejo uma grande similaridade entre Deus e a Matemática: ambos são imutáveis, exatos, perfeitos e neles encontramos soluções para os nossos problemas Basta conhecer: pelo lado espiritual, o Evangelho e as Leis de Deus; pelo lado científico, as fórmulas, os teoremas e as leis matemáticas. No primeiro caso eu equaciono o problema, buscando primeiramente as coisas do alto, utilizando o Livro Santo; no outro caso eu equaciono o problema e, como não sou bobo nem nada, utilizo uma HP 12 C.
Depois disso é só esperar pelas demais coisas – Deus me prometeu acrescentá-las – Tá lá em Mt 6:33.

Queridos conferencistas, queridos leitores, prestem atenção nas minhas considerações finais.
Ora o Senhor se expressa na “UNIDADE”, ora o Criador, com sutileza cósmica toca, tangencia, o “INFINITO”. Crendo, não tenho duvidas, que o nosso Deus, vez por outra, se apresenta como se brincasse conosco matematicamente, levando-nos à única comprovação de que a Matemática é, realmente, uma ciência, como ELE, exata. E dai?
Deus parece ironizar o próprio Einstein, quando argumentou que Ele não “joga dados com o Universo” (Lembrei Galileu). Dizem que ele é um deista - ele não crê na revelação divina. Por isso não o convidei para a conferência.
O Criador não se importa com as elucubrações ou dificuldades matemáticas da sua criatura: o homem. Ele as integra empiricamente, e naturalmente sorri quando se busca probabilizar Sua íntima relação com aquela ciência e o fato de ter falado em linguagem matemática, conforme Galileu, para conceber a natureza. ELE deve estar sorrindo agora.
Observem todos que o nosso Deus parece gostar mesmo/até, de “jogar dados” com ateus, evolucionistas, criacionistas, humanistas, materialistas e outros dessa mesma cambada de arrogantes; dessa mesma súcia de mitômanos, gênios “de mentirinha” que propalam “verdades mentirosas”, questionando o inquestionável para desacreditar as Sagradas Escrituras e ludibriar os que nele creem.

Próximos ao final dos tempos, pressinto não haver previsão quanto ao resultado deste “jogo” excitante que se assemelha à uma brincadeira de “pega pega/pique esconde”  entre o homem e, como disse Aristoteles: e o “Primeiro Ativador Imutável, a fonte do movimento e da ação do universo; o autocriador, incompreensível, inatingível, essência eterna, integralmente perfeita, o início e o centro do verbo em movimento no Universo”.
Humboldt está, também, reforçando esta minha tese, ao dizer que “Os mistérios de Deus precisam ser adorados e nunca compreendidos”. É verdade, eles são imponderáveis. Onde encontrar o Senhor? Na ciência, na natureza? Onde? Só seus íntimos, sabem como encontra-lo (Sl 25:14).
É sempre assim:
Toda a vez que a gente tenta desvendar um mistério referente ao Eterno, Ele “rapa fora”, fugindo à visão humana, como num passe de mágica Ele parece esconder-se, como se brincasse de “pega-pega/pique esconde” conosco, permitindo que evoluamos contínua e inesgotavelmente, enquanto queimamos nossas pestanas à busca do conhecimento.
Deus nos provoca e nos incita a procura-lo, em meio aos seus insondáveis mistérios; diante da sua imponderabilidade. Como diria o Einstein: “Deus é esperto, e não malicioso”.
Pela fé, acho mesmo que o resultado desse jogo será sempre nulo para quem vivo está e para aqueles que não temem a Deus. Todavia, excitado pela sua absurdidade, pretendo continuar rindo copiosamente daqueles que o praticam, atento às suas baldadas jogadas. Este, eu creio, é o melhor caminho para a minha vida.

Quero encerrar a minha participação nesta conferência, apresentando-lhes um raciocínio puramente matemático:
1 – Tudo que não existe é nulo;
2 – Tudo que é nulo é considerado 0 (zero);
3 – Deus é nulo ou zero, para os que não acreditam na Sua existência;
4 – No estudo da potenciação toda base elevada ao expoente 0 (zero) tem como resultado o número 1 ou a unidade;
5 – O que for elevado à potência 0 (zero) resulta em si mesmo. O que expressa o conceito de UNO, de acordo com Plotino, um filósofo exegeta de Platão que nos pediu contemplar esse Deus como a medida mais elevada de tudo.

Deus, além de INFINITO, é esta UNIDADE. Ele é UNO, algo único, singular e indivisível, imutável, inabalável e infalível – “QUOD ERAT DEMONSTRANDUM” ou, matematicamente falando:

  1. No comentário do Carpintero;
  2. Na postagem da Isabel Menezes, editora do Blogt “Glorioso Jesus”,
  3. Nas doutas anotações dos nobres conferencistas:
 CQD – “COMO QUERÍAMOS DEMONSTRAR”.

Copiando o meu abençoado irmão Claudio Claro:
Fui regenerado e justificado em Cristo Jesus. Estou reinando em vida; sou abençoado.
E de glória em glória, como a luz da aurora, eu brilho mais e mais à imagem do meu Deus.
Alberto Couto Filho

36 comentários:

Tunin disse...

Aprendi muito por aqui. Os textos são maravilhosos com base na palavra do Senhor. Deus te abençoe, meu irmão.
Obrigado pela visita.
Abração.

Alberto Couto Filho disse...

Oi, Tunin
Paz

Tanto quanto Caymmi: que saudades tenho da Bahia.
Que honra! um professor/poeta em minhas plagas!
Grato por ter vindo e pelo comentário lisonjeiro.
alberto

Adriana Marques disse...

Demais!!!

Eu gosto do cheiro de DEUS.É isso que me atrai nEle.
Ele é provocante demais!!!
Meu Amado me chama e eu vou...

3+4=7

Louvado seja DEUS que em tudo é perfeito!!!

“Enquanto o rei está assentado à sua mesa, o meu nardo exala o seu perfume” (Ct 1:12).

Que DEUS te dê um dia lindo!!!
Forte abraço!

Maria Luisa Adães disse...

Grata por o encontrar!

Maria Luísa

Pastor Giovani e Missionária Delair disse...

Deus é simplesmente o princípio e o fim de todas as coisas, o único Caminho a seguirmos.
Ainda que inúmeros caminhos e portas se nos abram, escolhamos a única, verdadeira: JESUS CRISTO !
Se O escolhermos, e se competirmos em algum sistema de notas quantitativas com relação a infinidade de deuses dos povos, tiraremos nota máxima, sem dúvidas, por servimos ao Deus Altíssimo.
Sim, a matemática nos rodeia, em tudo.
Nosso Deus é imensurável em poder, em existência, em santidade...
Aleluias!!!
A Paz,
Missionária Delair.

Alberto Couto Filho disse...

Missionária Delair,
Paz

"Nosso Deus é imensurável em poder, em existência, em santidade".
Nem sempre um escritor diz tudo o que tem para dizer em seus escritos. Perceba que nem mesmo os teóricos, os cientistas que professaram a fé no Criador, atinaram para a sentença - simples,mas extremamente verdadeira.
Grato pelo prestígio da participação.

Alberto Couto Filho disse...

Ma. Luiza
Paz
Você esteve aqui! Que lindo reencontro!
Ouvia vozes no silêncio de você, enquanto alhures;
Ouvi sua ausência, sua distância apenas,
Quando metáforas e inquietudes, compreensíveis sim,
Convidadas, aportaram em meu cais virtual.
Por aqui, bramiu meu mar, embora manso;
Enquanto ouvi o soluçar de um calmo vento.
Nós três clamando aos céus por novos reencontros.
Embevecido,
Alberto

*Escritora de Artes* disse...

Olá Caríssimo amigo Alberto,

Quanto conhecimento nos trouxe com seu post, tudo o que se refere a Deus é uma dádiva, pois a nossa luta na Terra consiste, em chegarmos mais próximos Dele "nos Céus"...

Grande abraço

Alberto Couto Filho disse...

Vanessamada,

Paz

Muita sabedoria, como sempre, em poucas palavras.
Ainda estou me babando com o seu delicioso cardápio e com os seus quase cem "pratos prediletos"
Você é ótima!

Isabel Meneses disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Isabel Meneses disse...

O que, pois, há de vir contra ele fará segundo a sua vontade, e ninguém poderá resistir diante dele; e estará na terra gloriosa, E dirigirá o seu rosto, para vir com a potência de todo o seu reino, Daniel 11:16-17
Eu olho os Teus ensinamentos, e os trabalhos de Tuas mãos Deus , infinitamente "matemático" e infinitamente esplêndido.
Onipresente, e assim Seus "cálculos" são imutáveis ​​e absoluto em nossas vidas e na natureza, que reproduzem com boa precisão,
os resultados estabelecidos por toda a Sua sabedoria, Senhor.

Alberto Couto Filho disse...

Amada Isa,
Paz

É isto mesmo - os cálculos do Onisciente são imutáveis e a natureza, que reproduz seus resultados,os reconhece fazendo-nos crentes.
Vou admitir, pelo seu comentário que a abençoamada regozijou-se com o nosso modesto trabalho.
Bom tê-la por aqui.
Deus te abençoe
Alberto

Rita disse...

¯˜"*♥✿♥-´¯˜"*♥✿♥-´¯˜"*♥✿♥
Boa noite
Vim agradecer a sua visita, que me
deixou feliz pelas belas palavras
Esse texto que fala de DEUS é bem
gratificante, eu , deixo um abraço
com todo meu carinho e respeito
Bom final de semana
Abraços
Rita!!
¯˜"*♥✿♥-´¯˜"*♥✿♥-´¯˜"*♥✿♥

Alberto Couto Filho disse...

Oi, você de Jaboticabal
Paz

Seja bem vindo. Sua visita honra sobremaneira este velho blogueiro.
Comente

Patricia Galis disse...

Gostei muito de ler o que pensam esses grandes homens, principalmente Isaac Newton, uma bela postagem meu irmão.
Que a paz de Deus esteja contigo e toda sua família, grata pelo carinho de sempre.

Alberto Couto Filho disse...

Oi você de Osasco

Pa

É sempre um prazer receber a sua visita.
Espero que a mensagem seja do seu inteiro agrado.
Que Deus o abençoe

Alberto Couto Filho disse...

Ritamada,
Paz

Seus comentários, assim como seus textos são, realmente, deliciosos.
Obrigado, viu?

Alberto Couto Filho disse...

Patricia, abençoamada

Paz

Tal mãe, tal filha - sempre carinhosas e ternas para com este humilde blogueiro.
Eu as amo em Cristo Jesus.
Alberto

Evanir disse...

Estou com muitas saudades
como estou resolvendo no momento
problemas pendentes que preciso realmente
decidir.
Com muitas saudades venho deixar meu carinho
e agradecer sempre pela sua linda amizade.
Quantas vezes ao me sentir sozinha entro
no meu blog vejo um recado carinhoso
minhas forças se renova a cada dia.
Uma abençoada semana beijos na sua alma
pra sempre sua amiga,Evanir..

Alberto Couto Filho disse...

Abençoamada Evanir
Paz
Quanto carinho; quanta ternura em suas mensagens e comentários - Você é única.
Fui até lá para abraçar os noivos.
Não demore tanto.
Alberto

JCavalheiro disse...

A Paz do Senhor e abraços meu estimado irmão Alberto!!!

Sempre é um grande prazer fazer uma visita neste bem comentado blog.

Muita profundidade nesta sua postagem. Excelente abordagem sobre o tema "DEUS". Deus é infinito!! Um teorema incógnito, indecifrável para a limitada mente humana.Sua marcante conclusão conduz-nos ao limiar do conhecimento da infinitude divina. Parabéns!
Seu livro já tem uma apresentação em meu blog. Desculpe-nos se não conseguimos transformar em palavras, devido às nossas limitações, tudo aquilo que poderia ser dito de sua pessoa e de sua obra. Dá uma passadinha por lá, será um prazer receber uma visita tão importante com a vossa.
Abraços do irmão e amigo....
João Q. Cavalheiro

Alberto Couto Filho disse...

Egrégio pastor João
Paz
Roguei ao amigo por um singelo adminículo e eis que enalteces minha pena, adornando a medalha que me veio pelas mãos do Senhor, nobilitando-me.
Não posso negar meu constrangimento ao ler pluralizado com lisonjas e encômios este seu louvor. Não te espantes, sou assim: o amor de Deus sempre me constrange e costumo dizer aos amigos que o Altíssimo exagera em minha vida.
Receba, em retribuição, todo o meu ouro e a minha prata: o Senhor Jesus, representado pelo penhor da minha gratidão e orações pela sua vida e dos seus familiares.
Abençoe-te o Supremo Pastor.
Alberto

Vera Lúcia disse...


Parabéns pela excelente postagem!
Trouxe-me uma interessante leitura.

Obrigada pela visita ao meu recanto.

Ótimo final de semana.

Alberto Couto Filho disse...

Oi, Vera Lucia
Paz, prazer

Bem vinda amiga - do RECANTO DO SOL ao meu modesto blog.
Coisa linda os ditos do Cezar sobre a amargura. Jesus consubstanciou-os dizendo que no mundo nós teríamos aflições, mas que se tivéssemos bom ânimo nós o venceríamos.
Vamos nos ler mais vezes?
Alberto

Alberto Couto Filho disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Alberto Couto Filho disse...

Oi, vc de Takayama
Paz

Por que não comentas sobre esta nossa mensagem?
Brinde-me com sua impressão.
Saudares nipônicos e cristocentricos
Alberto

Suely Rezende - Ministério HD disse...

Parabéns pela postagem.
Deus continue usando sua vida.
Abraços
Suely

Alberto Couto Filho disse...

Abençoamada Suely

Paz

Aguardamos por novas mensagens da nobre irmã.
Estamos ha quase um mês sem notícias.
Deleite-se com a voz daquele excelente cantor kkkk
Alberto

Anderson Andujar disse...

Passei rapidinho pra dizer "Oi" e prometer voltar loguinho pra apreciar com calma, rsrsrsr...

Abração meu amigo, eu volto einh... Paz...

Alberto Couto Filho disse...

Nobre Andujar,
Paz

Volte rapidinho, mas de preferência, antes de Jesus
Tá? kkkkk
Alberto

Anderson Andujar disse...

Seu bom humor é contagiante, meu querido... é exatamente disso que o Reino está precisando... kkkk.....

Bom, se o Mestre não voltar até fim de semana eu prometo vir sim antes dEle... tenho certeza que o texto há de me edificar.....

Abração.....

Sérgio Aparecido Dias disse...

A Matemática não é Deus e nem Deus é a Matemática, conforme querem os filósofos, especialmente Platão e Aristóteles. Não só a Matemática, mas a Física, a Química e as demais Ciências, enfim, todo conhecimento humano, jamais tocam sequer a superfície da verdadeira fé. O enunciado da fé, em Hebreus 11:1, está em completo desacordo com a propalada razão humana ou com as ciências que os seres humanos classificam de "exatas". Fé é a "certeza de coisas que se ESPERAM", e a "CONVICÇÃO de fatos QUE NÃO SE VÊEM"! E como funciona essa aparente discrepância? Simples: essa segurança se baseia em 2 coisas nas quais é impossível que Deus minta: as suas promessas (que sempre se cumprem) e a sua palavra que nunca volta atrás. Isso tudo levando-se em conta o caráter imutável de Deus e o zelo pela sua santidade. Em razão disso, essa fé, aparentemente irracional, mostra ser de uma racionalidade incontestável, porque se baseia na honra e na palavra de garantia do próprio Deus. E isso não é produto de cálculo matemático, mas produto da graça e da misericórdia, essas sim, ciências EXATÍSSIMAS e absolutas! Um enunciado matemático ou físico pode ser colocado em dúvidas e ser contestado ou modificado (como, por exemplo, as variáveis de tempo e espaço, os algoritmos, medidas cósmicas, variáveis quânticas, cálculos complexos de medidas do tempo e das eras geológicas, etc.), sem contar com as descobertas de hoje que tornam obsoletas as de ontem, e certamente muitas deverão ser modificadas (ou mesmo descartadas) pelas descobertas de amanhã. Alám disso, a Matemática de Deus é transcedental: 1=3; 3=1; 1+1+1=1; 2=1; 1+1+1+1+=1. Curiosos pra saber sobre esses cálculos? Fica pra próxima, pois este comentário já está longo demais!

António Jesus Batalha disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Sérgio Aparecido Dias disse...

Só pra corrigir o meu comentário: em lugar de "Alám disso", leia-se "Além disso". E onde se lê "transcedental", leia-se "transcendental". Desculpem o erro que, afinal, não é meu, mas do teclado (mesma desculpa de Adão e Eva. Não tinham computador, mas encontraram em quem por suas culpas).

Alberto Couto Filho disse...

Abençoamado pastor Sergio
Paz

Finalmente!
Alvissaras!
Quem disse que o seu comentário está longo demais.
Eu deveria ter convidado o amigo para aquela conferência.
Faz mal não - Vou convidá-lo para a próxima. Pode aguardar
Sinto muito pela velocidade da Web por ai, mas sinto mais pela ausência dos seus comentários.
Que bom que você veio.
Saudares saudosos
Alberto

Alberto Couto Filho disse...

Prezamaos comentaristas,
Paz

Quem poderia me ajudar para excluir desta minha página os links do blog Point Rhema, abaixo enunciados.
Ainda que seja mui grande o carinho, respeito e a consideração que tenho pelo seu editor, não partiu de mim a iniciativa de listar Links daquela sua página em meu espaço virtual.
Meu colaborador, ausente, ainda não providenciou a exclusão dos links.
Aceito orientação para excluí-los.
Alberto


Postar um comentário

Pesquisar assuntos, temas ou postagens

MILAGRES

Veja quem nos visitou recentemente