Seguidores

terça-feira, 30 de abril de 2013

ABRINDO-ME


Por Clélia Rocha


Prólogo
Alberto Couto Filho

Mas...é preciso sair para FORA.
Clélia Rocha, impetuosamente, com superabundante graça pleonástica, vale-se airosamente desse vício de linguagem, no afã de expressar enfaticamente um nobre sentimento ao produzir um fruto de reconhecimento, biblicamente aceitável em nosso meio.

Clélia Rocha opõe-se a conjunções coordenativas ou subordinativas. E dai? Ela é assindética na construção de suas frases e orações, que se justapõem divinamente;
Clélia Rocha, apenas intuindo levar mais subjetividade e emoção a seus leitores, em retórica despretensiosa e intencional, exibe o seu “quê”, que não é só seu; é de Castro Alves, o lírico poeta dos escravos; é de Paulo Roberto de Almeida, autor do mini-tratado em defesa da inutilidade necessária do uso das reticências;
Clélia Rocha é árvore frutífera, arraigada e alicerçada no amor de Deus a cultivar raízes espirituais na vivência dedicada ao Senhor. Ela diz-se raiz e tem a consciência de que estando sob a terra, seus valores, motivações e necessidades são visíveis apenas pelo Criador de todas as coisas;
Clélia Rocha, permanentemente disposta a santificar-se, está ciente da sua fragilidade, mas não se vê incapaz. Ela exibe em seus escritos “o como ela é”: sem mistérios, não enigmática, transparente e verdadeira, serva temente a Deus e, como diz em tom gracioso: é uma mulher “cara limpa”;
Clélia Rocha, enfim, que assevera ter Deus como seu guia diz-se: livre, mar, areia, vento, tempo, sorriso, alegria, encontro e despedida, comparando-se a uma libélula a voejar, sem ter nenhuma pressa;
Clélia Rocha é protética-bombeiro, poetisa, baiana pessoal e espiritualmente bela, e a blogueira autora da obra-prima que ora transcrevo, duplamente honrado pelo fato de ter expressamente autorizado a sua publicação nesta minha página e ter declarado em seu blog: Estou lendo Alberto Couto Filho – Deus está sendo glorificado em nossas vidas.

ABRINDO-ME...

HOJE...preciso me DESPEDAÇAR.
Fazer sair das ENTRANHAS o PENSAR...o SENTIR...
Como LÁZARO... PRESO, com OLHOS VENDADOS, boca fechada, cheirando mal, e enclausurado em um MUNDO de MALDADE, FALSIDADE, ARROGÂNCIA, INCREDULIDADE, DESAMOR.
Às vezes...penso em não sair. Suportar o meu próprio cheiro...ainda consigo.
Jogar no meu CORPO morto...o perfume comprado...PAGO.
Mas...é preciso sair para FORA.
FILHO de DAVI! tem MISERICORDIA de NÓS!
CEGOS...à BEIRA do CAMINHO...MENDIGANDO.
DESCEMOS ao poço de JACÓ...mas, não te encontramos...tinhas ido.
Sentimos o PESO da CRUZ no teu ombro, mas te NEGAMOS três vezes.
Todos os dias...MORTE.
Crianças, adolescentes sendo criados para o crime.
Ladrões, bandidos, sequestradores...formados em DIREITO.
BOMBAS jogadas...pessoas sonhando...jogadas ao CHÃO.
As ONDAS do MAR...vem de forma impetuosa, altas demais para mim.
AQUIETA-A
PREFEREM BARRABÁS...está SOLTO.
Me ensinaste a AMAR o PRÓXIMO como a MIM mesmo...como posso?!
Sou do bem, mas...me jogam PEDRAS.
Atiram a PRIMEIRA ...querem MORTE.
Já fui SALVA... por um FIO de ESCARLATA.
Por um SANGUE passado nos UMBRAIS das PORTAS.
Por um CORDEIRO sacrificado.
Sabe quando no MONTE, TU quisestes DESISTIR de MORRER pelo HOMEM?
..."PAI! PASSA DE MIM ESTE CÁLICE"...
...Deverias ter desistido.
Não merecias à CRUZ.
Sinto muito...
O MUNDO...PREFERE BARRABÁS.
Clélia Rocha 2013
coraoquepulsa.blogspot.com/.

Pesquisar assuntos, temas ou postagens

MILAGRES

Veja quem nos visitou recentemente