Seguidores

quarta-feira, 28 de julho de 2010

KIBERNETES - O REMÉDIO PARA IGREJAS DOENTES - A BULA DA EFICÁCIA

Autor: Alberto Couto Filho

Se quisermos obter um diagnóstico preciso acerca da saúde de uma igreja, devemos nos basear na efetividade da sua liderança ou, ainda, na presença ou ausência da unção do Espírito Santo nas ações efetivas de seus líderes.

É sintomático: Se a eficácia da liderança é obtida através da adoção de práticas que ensejam notório crescimento, a igreja é (está) inteiramente saudável, caso contrário, a ineficiência, sintoma indicativo do mal, do estado mórbido do corpo de Cristo, nos levará a um só diagnóstico: a liderança inexiste.
O que se vê então são tentativas inúteis de combater a ineficiência, para evitar os efeitos danosos da enfermidade, ação totalmente inócua diante do mal da ineficácia.

É preciso combater a causa, a origem da doença, apregoando, ensinando e disseminando a prática da Liderança Servidora Transformacional de Jesus.
Leio em várias narrativas, nas Escrituras Sagradas, sobre a responsabilidade individual dos líderes pela restauração, pelo crescimento e também pela decadência e declínio do que estavam liderando.

Em Neemias, por exemplo, este fato pode ser comprovado, quando o copeiro do Rei Artaxerxes tomou conhecimento do mal, através de Hanani, seu irmão, quando relatada a desolação de Jerusalém, com a derribada dos muros da cidade (Ne 1:3).
O mal, então identificado por Neemias, já como governador, levou-o a orar ao Senhor, encorajando os judeus que haviam retornado do exílio da Babilônia a restabelecer a sua comunidade e arredores.

A Bíblia registra a eficiência de Neemias, quando administrou o conflito criado pela reconstrução dos muros, desde seu início em (Ne 2:9/10) até o clímax do conflito em (Ne 6:1/14) e também assinala a eficácia da sua liderança ao final da restauração dos muros em (Ne 6:15).
Os níveis de sinergia alcançados junto aos que trabalharam na reconstrução dos muros, sob a liderança de Neemias, nomeado governador na terra de Judá, se comparados às ações e reações dos primeiros governadores: Sesbazar (Ed 5:14) e Zorobabel (Ag 1:1) não só corroboram a existência da doença como devem preocupar nossas lideranças atuais, quanto à busca do beneplácito soberano de Deus para erradicar o mal da ineficácia. De fato, não existem grupos ou equipes fracas. Existem sim, líderes fracos (Ne 5:15).

Criei o medicamento genérico “Kibernetes”, para combater o mal e, ao mesmo tempo, consubstanciar todo o meu texto. Ele contém o mesmo fármaco (princípio ativo): Na mesma dosagem; mesma forma; administrado pela mesma via; indicado terapeuticamente como o “de marca e referência” mundiais; apresentando a mesma segurança, a mesma eficácia clínica e a condição de ser o único que pode ser intercambiável com o “de marca e referência”.

A bioequivalência do “Kibernetes” pode ser testada quando o seu uso é associado à oração permanente
Sua ação, composição, propriedades, indicações e efeitos, guardam total similaridade com o medicamento indicado para a cura de todos os males: O “de marca e referência” – O Senhor Jesus Cristo.

Portanto, leia a bula.

A Bula da Eficácia


“KIBERNETES” – (The Transformational Servant Leader)


Informação ao paciente


O “Kibernetes” é derivado da palavra grega “kibernesis” que tem o significado de “liderar”. Ela faz referência ao líder eficaz que sabe onde está; para onde vai e como se safar das ameaças e dificuldades encontradas no seu caminhar.
Ele é um desenvolvedor da capacidade de interagir e integrar pessoas (sem qualquer acepção) num processo de influência, visando o alcance de resultados eficazes, entendidos como comuns por todos os envolvidos no processo; objetivando transformação de vidas, mediante a renovação das mentes (Ef 4:2), (1Co 1:10), (Dt 16:19), (At 10:34), (Ef 6:9), (Mt 7:15), (Rm 12:2), (Fp 3:21), (Jd 3), (Is 51:56), (Lc 1:77), (Sl 96:3), (Mt 28:18,9).

Composição

Caráter e ações, procedimentos, habilidades, estilos e posturas, atitudes necessárias para levar às pessoas que, nas igrejas, participem da liderança:

=>O amor (comportamental/incondicional), o altruísmo (1Co 13:1-8);

=>A obrigatoriedade de “servir” e “sacrificar-se” (Dn 7:14), (Is 52:13), (Is 53:12), (Mt 20:28), (Mc 10:45);

=>A utilização de técnicas destinadas a um relacionamento sinérgico entre as pessoas, visando motivá-las e engajá-las para, juntas, maximizarem a qualidade e otimizarem resultados (1Ts 2:8), (Tt 1:9), (Pv 18:13), (Ec 1:8), (1Co 15:11), (Pv 15:21), (Rm 2:1), (Cl 3:13,15,16), (1Co 12:4-6), (1Co 1:10), (2Sm 24:16), ,(1Co 3:6-9), (2 Jo 9-11), (Mt 28:18,19,20);

=>A aprendizagem apropriada, quanto ao tratamento dispensado às pessoas lideradas, em função de uma situação observada; do nível de desenvolvimento (maturidade espiritual/emocional) e das variáveis de natureza pessoal (necessidades, valores e motivações) de cada uma delas (Rm 12:7), (1Sm 12:23), (Tt 2:7,8), (1Tm 5:1), (Pv 1:1-3), (1Ts 5:14), (Cl 4:6);

=>Habilidades transferíveis, conhecimentos gerais e educação (Pv 1:5);

=>A adoção de postura conselheiral/provedora, ora comportando-se Diretivamente, ora provendo Apoio (exortando) aos liderados (Pv 11:14), (Pv 15:22), (Pv 24:6);

=>A orientação, o treinamento, o aperfeiçoamento, o reconhecimento e o empoderamento (o IDE) (Mc 6:8-11), (1Ts 1:4,5), (Mt 28:18-20);

=>A mentoria, quando apascentadores, guias, conselheiros ou mestres (Mt 5:1-11), (At 2:14-36), (At 3:11-26).

Propriedades


O “Kibernetes”, quando utilizado da forma prescrita, tem as seguintes propriedades (Missão):

A – Levar o líder/paciente a atuar como agente de transformação (mudanças), evitando que haja a manutenção do “status quo”, conhecida inibidora da humildade e causadora do mal da mediocridade e criando uma forte disposição para a aceitação de desafios. A mentoria, um dos componentes da sua fórmula, age em meio aos liderados para vencer adversidades (tribulações); para fornecer direção; para criar algo único e novo; como fomentador de ousadia e intrepidez (Ef 3:16), (Fp 4:13), (Rm 8:31), (Sl 27:5), (Pv 16:9), (Is 42:9), (Ap 21:5);

B – Estimular e motivar o autodesenvolvimento e a participação, ativando a perspectiva de crescimento pessoal e espiritual através da ação desenvolvedora da capacidade das pessoas. O papel do “Kibernetes” nesta propriedade é interessar-se pelos liderados; ouvi-los; acatá-los e acomodar ou satisfazer suas complexas, mas legítimas necessidades humanas, como condição para sua automotivação e para o seu comprometimento (empenho/disposição) em relação às metas e objetivos da obra (Pv 1:5), (Pv 9:9), (Cl 1:10), (Lc 2:52), (Lv 19:18), ( Mt 22:39), Mc 12:31), ( Rm 13:9), (Gl 5:14), (Tg 2:8), (1Ts 2:17-20), (2Pe 3:14);

C – Agregar (integrar) os liderados, levando-os à unidade e à participação voluntária, no exercício do seu papel de catalisador de resultados. Esta propriedade faz com que o medicamento produza efeitos benéficos não só para a igreja, mas para a sociedade como um todo (2Cr 5:2), (Is 45:20), (Lc 15:6), (Ef 4:12,13), (1Co :10), (1Pe 3:8);

D – Identificar liderados não-conformistas genuínos, seguidores que podem lhes encaminhar ao futuro, separando-os dos falsos não-conformistas (o joio) que apenas causam aborrecimentos e nada fazem de útil. Os não-conformistas legítimos (o trigo) são pessoas que se destacam no exercício de suas funções e que não se preocupam apenas com suas próprias idéias, mas com as metas da Igreja e que já exercem alguma influência e têm adeptos, admiradores ou seguidores (1Tm 1:19,20), (2Tm 2:16-18), (Fp 2:20-25);

Informações ao líder/paciente

Aconselha-se que o líder demonstre a pretensão de ser “grande” ou “maior” no desempenho das suas funções, ou seja, que busque a eficiência no relacionamento com as pessoas, além de uma performance irrepreensível ao “servir” e assistir aos outros, provendo-lhes Direção e Apoio.
O medicamento não é recomendado para pessoas que objetivem a primazia, a ostentação do poder, o status de “primeiro” mandatário. Estes podem sofrer conseqüências danosas no contacto/ingestão do produto e apresentarem sintomas de humilhação. A ação esperada do “Kibernetes” é fazer seguidores, reduzindo e até acabando com a tão natural resistência das pessoas às mudanças (Mt 20:26,27), (Mc 10:43,44), (Lc 14:11).

A sua ação aconselhadora identificará necessidades ainda não satisfeitas e atuará decisivamente sobre as disfunções do tipo: moral baixo, murmuração, hostilidade, obstrucionismo, defensividade, inveja, territorialidade e ansiedade crescente, conhecidas reações, típicas do ser humano, quando não ocorre uma adequada gestão da mudança encetada, visando minimizar ou mesmo coibir tais reações. Os componentes do medicamento atuam de modo seletivo quanto às pessoas, oferecendo-lhes tratamentos diferentes, por não ser desconhecido que elas são, conforme o Criador, do mesmo modo, diferentes (Cl 4:5,6), (1Ts 5:14).

O “Kibernetes” estimula e motiva os líderes/pacientes a se preocuparem com o que estão fazendo. Seu uso permanente forja o caráter dos liderados no cadinho do amor ao próximo, tornando-os altruístas, e recompensa-os pelo desempenho superior. O medicamento promove a comemoração pelo progresso e sucesso alcançados fazendo com que haja testemunho das pessoas cujas vidas foram transformadas e leva os líderes a relembrar continuamente a visão de Deus para a igreja. Os líderes/pacientes passam a encorajá-las, destacando o crescimento pessoal de cada uma delas (Rm 15:2), (Pv 3:29), (Cl 3:24), (Mt 16:27), (Fp 2:20-25).

O “Kibernetes” foi desenvolvido com base na ciência de que “nada é tão desigual do que tratamentos iguais para pessoas desiguais”. Desta forma, o efeito único esperado é o sucesso decorrente da eficácia apresentada pelo medicamento

Observação médica, muito importante


Os pacientes devem atentar para a validade do medicamento e para o fato de que o mesmo pode ter seus componentes falsificados. Fora da validade e com componentes falsos, são observáveis: a ausência de “unção”, de habilidades, de competência, de empenho e de disposição. Além disso, aos sintomas citados a seguir, nas Indicações, aliam-se prepotência (uso coercitivo do poder) e vaidade. Dessa forma, a eficácia do medicamento estará seriamente comprometida. Neste caso sugerimos um providencial e mais íntimo contacto com o Médico dos médicos (Jr 23:1-4), (Ez 34: 1-10), (Mt 7:15), (2Tm 2:14), (Tt 1:10-16), (2Pe 2:1).

Indicações


No tratamento da ineficácia – no combate ao uso abusivo do poder de posição; à apostasia; às doutrinas heréticas; à falta de autoridade legítima; ao individualismo; à egolatria; ao egocentrismo; à arrogância; às lideranças não desenvolvidas; ao esgotamento espiritual; à incapacidade de gestão; ao desestímulo à criatividade, à inovação (mudar, pra que?); a desmotivação; ao espírito rotineiro; ao conformismo e à mediocridade satisfeita.

Contra-indicações


O “Kibernetes” é contra-indicado para líderes meramente posicionais, com sintomas de acomodação crônica, conformismo natural, passividade obtusa, aversão a feed-back negativo, ganância e males semelhantes, que já passaram, sem resultado, por tratamento à base de seminários teológicos, conselhos, exortação, admoestações e recomendações.

Reações (não adversas)


Este medicamento deve ser usado também por líderes dotadas das qualificações para o exercício da influência, possuidores do “dom de governos”. O uso do medicamento irá reforçar o seu DNA espiritual e sua eficácia irá produzir líderes/seguidores também eficazes. O sucesso terreno virá em seguida ao reconhecimento da importância espiritual da liderança orientada, primeiramente, para a busca às coisas do alto, valendo-se do poder pessoal com autoridade legítima (1Co 12:28), (Mt 6:32,33).
A medicação irá capacitá-los a ver o mundo por uma ótica diferente e a reagirem naturalmente a toda e qualquer circunstância contrária (adversidades, tribulações) aos seus mais lídimos interesses.

Efeitos colaterais


As pessoas que possuem um alto potencial, mas apresentam um baixo desempenho, o “Kibernetes” pode levá-las a um futuro aproveitamento.
Líderes de alto potencial e que apresentam também um alto desempenho; que crêem em Deus; que têm fé e sabem que não há limite nem mesmo para o pensamento, têm no uso permanente do “Kibernetes” a alavanca para a eficácia e o deleite de um futuro feliz na presença do Senhor (Gn 15:1), (Mt 5:3-11).

Posologia

É essencial usar o “Kibernetes” sob a forma de liderança servidora/transformacional, cuja ação de educar, servir e encorajar conduz pessoas e equipes à plena conscientização de uma visão, dos objetivos traçados e à total coesão e integração do grupo (unidade).
É esperado um possível empoderamento (liberação de poder), a partir de altos níveis de motivação; de envolvimento; de comprometimento e de participação voluntária dos liderados (Jo 17:23), (Ef 4:12), (1Co 10:17), (1Co 1:10), (2Co 13:11), (1Pe 3:8), (Mt 28:18-20).

Super dosagem

A ação do desenvolvedor de Capacidades do produto na gestão de pessoas é algo muito específico. Não há referências sobre a ocorrência de problemas particulares após super dosagem. É muito grande a possibilidade de que ela venha a ser benéfica para muitos líderes/pacientes.

Interação Medicamentosa

A ação garantidora do comprometimento, da participação voluntária, da co-responsabilidade e contribuição criativa dos liderados, será mais rápida e facilmente alcançada se o líder/paciente associar o uso regular do “Kibernetes”, aos conceitos de amor e espiritualidade; às boas práticas de servir e sacrificar-se para ajudar ao próximo (altruísmo), pois estes são componentes básicos da fórmula da Liderança Servidora Transformacional (Fl 1-25).

Recomenda-se, antes de iniciar o tratamento, que o líder/paciente defina o perfil e o nível de desenvolvimento ou grau de maturidade dos seus liderados, com vistas a dinamizar o seu potencial e avaliar desempenhos, objetivando a formação de seguidores/substitutos e o suprimento das necessidades de encarreiramento (1Co 3:1-3).

Ações terapêuticas do “Kibernetes”
:

“Caminhar, caminhar sempre à frente de todos; como piloto, ser também mecânico, telegrafista, navegador; ficar de pé, quando os outros se sentam; sorrir, quando cerram os dentes; dar de beber, quando têm sede (Jo 7:37) e um coração quando lhes falta um (Jr 32:39). Carregar o cansaço dos fracos (Mt 11:28); Iluminar os que se acham em trevas (Jo 1:5). Esperar por sete (Js 6:15/16); querer por dez (Gn 18:32/33) e, em secreto em seu quarto, orar por eles ao Pai Eterno que tudo vê em secreto, para que todos sejam abençoados (Mt 6:6)”.

Farmacêutico responsável: Alberto Couto Filho
Doação sem prescrição médica
Laboratório: “Até Aqui Nos Ajudou O Senhor”
Indústria Evangélica Brasileira

24 comentários:

Anselmo Melo disse...

Que maravilha!Chegou quem estava faltando...Sua coragem, sabedoria e senso de humor vai enriquecer e muito esse espaço cibernético do qual também me orgulho de participar.Seja bem vindo!
Que Deus use sua vida como canal de bençãos para muitos.Paz!!!

Newton Carpintero, pr. e servo disse...

Prezamado Alberto Couto Filho,

A paz do Senhor!

Agradeço a Deus por sua primeira e estimulante matéria, bem como, principalmente, por este especial "seu" acento: Sei por que vim!

O Senhor seja contigo!

O menor de todos.

Luciano Vieira disse...

Prezamado Alberto Couto,
A gloriosa paz do Senhor Jesus!

A blogsphera acaba de ter mais um ganho com esse blog pertinente. Depois de tanto vasculhar as paginas da WEB em busca de artigos e comentários escritos pelo nobre e talentoso escritor, teremos agora um livre acesso e disponibilidade de seus artigos que serão compartilhados conosco. Confesso que está em atraso sua participação direta a blogsphera. Mas nunca é tarde.

Que inspiração e talento demonstrado através do texto. Artigo como esse deveria servir como introdução em escola teológica, e sempre lida em reuniões de obreiros. Servir e liderar são duas coisas que parecem estarem longe uma da outra, mas, na verdade o sucesso da liderança depende muito do servir.

Excelente texto - ou prescrição médica – digno de ser lido varias vezes, e ruminado sempre. Parabéns pela criatividade e inspiração.

Estarei divulgando seu blog no meu humilde espaço.

Um forte abraço de seu conservo em Cristo,
Luciano Vieira

Pastor Guedes disse...

Prezado Alberto,

Quero juntar-me aos amados Anselmo, Newton Carpinteiro e Luciano ,emus amigos, para elogiar seu espaço e texto. E mais: parabenizar pela iniciativa do "ai" de mim se não comentar seu post(rsrsrs). Como tenho temor resolvi conferir e não me arrependo.

Devolvo-lhe a responsabilidade dizendo: Ouse não visitar, comentar e seguir meu blog e aí sim veremos, ok?

Estou seguindo o seu blog e espero que siga o pastorguedes.blogspot.com para trocarmos ideais inteligentes.

Abraço.
No Amor de Cristo.

Pr.Paulo disse...

A Paz Dr. Alberto,

felizmente ainda temos homens de Deus sem medo de escrever e escrever bem. Continue fazendo o seu papel. Deus ti abençoe.

Abraços do seu Pastor.

Pedro Henrique disse...

Amado irmão Alberto Couto Filho, a Paz do Senhor!

Perdoe-me pela demora em responder teus e-mails. Todavia, nosso Deus sabe todas as coisas.

Fico imensamente honrado em saber que o senhor faz questão de meu humilde comentário sobre teu excelente texto. Dou graças a Deus que ainda existam cristãos "azorragues", inconformados com a falta de temor e amor à Deus e à Palavra que muitos líderes possuem.

O "Kibernetes" seria a solução para a maioria (sem exagero) das lideranças eclesiásticas em nosso país e até no mundo, uma vez que, infelizmente, a apostasia tem chegado às nossas portas (1 Tm 4.1,2). Que o Senhor Espírito Santo nos guarde disso!

Que Deus continue abençoando o irmão, fazendo de ti um instrumento para a edificação da Igreja, para a conversão dos não-salvos e para a defesa do santo Evangelho da Graça e da Glória de Cristo.

Um forte abraço e parabéns pelo linguajar erudito.

P.H.

Pr. Carlos Roberto disse...

Caro irmão e amigo,
Alberto Couto Filho

A Paz do Senhor!

Desde domingo, estava totalmente envolvido com a organização da convenção estadual da nossa denominação, o que me impossibilitou de ser o primeiro a comentar em seu tão esperado blog.

Louvo ao Eterno pela sua vida e iniciativa, aliás, tão cobrada por este servo. Está aí, agora é uma realidade, glórias ao Senhor!

Quanto a sua primeira postagem, é uma espécie de consulta com diagnóstico grátis para líderes, e melhor de tudo, com direito a medicamento produzido de acordo com a necessidade do paciente, em farmácia de manipulação de fórmulas celestial. rsrs

Parabéns meu amigo!

Um grande abraço!

Seu conservo n'Ele,

Pr. Carlos Roberto

Pr. Luiz Fernando disse...

Prezado irmão Alberto,
esse medicamento é fundamental na vida de qualquer liderança sadia. Uma boa dosagem deste santo remédio aliviará a igreja de um fardo pesadíssimo que vem arrastando ao longo dos anos. O irmão consegue com propriedade e humor despertar o interesse para a prática de uma liderança servidora nos moldes do Santo Mestre O Senhor Jesus. Creio que o grande desafio de aplicar o Kibernetes nas variadas lideranças evangélicas é que estas lideranças talvez não reconheçam que precisam urgentemente desta solução.
Parabéns pelo excelente texto e sua grande aplicabilidade.
Acredito que a blogsfera ganha em qualidade e visão com a sua chegada.
Com sua permissão vou repassar o link do blog em minha próxima postagem, ok?
Um abraço
Em Cristo

Pr. Sérgio disse...

Nobre Alberto Couto Filho, graça e paz!
Estive em Porto Velho ministrando a Palavra do Eterno, cheguei apenas ontem (28/07) e agora que tenho tempo para dar atenção ao seu tão esperado blog. Perdoe-me por não poder comentar antes.
Na verdade, nada se pode acrescentar ao que o irmão já prescreveu. Sua receita do "Kibernetes" é necessária, atual, pertinente, audaciosa e eficaz. Que os líderes dessa nação possam tomar repetidas doses do seu remédio, ousaria dizer que é preciso viciar em "kibernetes" para poder impactar a atual geração e o mundo pecaminoso com a graça do Evangelho de Jesus Cristo.

Desejo que seu blog continue do jeito que começou: combatendo com coragem e perspicácia os modismos que atuam entre nós!

Um forte abraço!

Pr. Sérgio Pereira
http://prsergiopereira.blogspot.com

Alberto Couto Filho disse...

Pastor Anselmo,

Bendita seja esta tal de "inclusão digital.
Tudo fica mail fácil quando se tem amigos como o egrégio pastor.

Muito bom o Top Five Gospel. Comentei
Alberto

Alberto Couto Filho disse...

Pr & servo Carpintero

Seu comentário muito me honrou.
Continuo, como o nobre amigo, a esperar que, tal qual o "bonde antigo", tirem a cegueira espiritual, para sempre, de circulação.

Seu conservo
Alberto Couto Filho

Alberto Couto Filho disse...

Meu bom Luciano,
Bem vindo, meu amigo.

O pastor Leith Anderson da Igreja Wooddale, Minnesota E.U.A,escreveu em uma das suas obras que a educação teológica trdicional destina-se a treinar teólogos pesquisadores que depois se tornam líderes. aqui, ali e acolá. Provavelmente, não estarão bem equipados para nenhuma das duas funções, muito menos para liderar exércitos de voluntários, por não serem bem preparados, nos seminários, para as tarefas e obrigações pastorais.
Entre servir e liderar a margem é tênue, mas a diferença, você está certo, existe.

Obrigado pelos encômios.

Alberto Couto Filho disse...

Pr Guedes,

Todo o prazer é meu.
Também como seguidor do seu blog,visitei-o;como sempre,não me arrependi e,com temor, comentei sobre sua excelente mensagem "MISSÃO DA IGREJA E TURISMO CRISTÃO". Como esperava, não me arrependi.
Que Deus continue abençoando o ilustre pastor e seu espaço, deveras inteligente.
Em Cristo,

Alberto Couto Filho disse...

Abençoamado Pastor Paulo,

Tê-lo como partícipe deste meu modesto blog envaidece-me, pelo muito que representa em minha vida.

Se todos os sábios são parrésicos, atrevidos,pois falam com franqueza através de uma mente informada pela verdade;

Se o coração do sábio é mestre da sua boca e aumenta a persuasão nos seus lábios;

Se o Dr. Lucas disse que o homem bom, do bom tesouro do coraçao, tira o bem...e que a boca fala daquilo que o coração está cheio,

Então, seguirei sem medo e agradecido pelo reconhecimento do seu enganoso coração e pelo incentivo contido em suas palavras.
Como disse na dedicatória do nosso livro: Não queira saber o quanto amo vocês.

Seu amigo, fiel escudeiro e ovelha obediente.
Obrigado por tudo, amigão.

Alberto Couto Filho disse...

Querido Pedro Henrique

Fez bem ao "mais velho" receber sua simpática visita.Folguei ao saber que, breve, estarás fora da relação dos "teen".
Seus elogios, no entanto, me constrangem, pois aqui no Rio sou torcedor do Botafogo, o que minimiza o valor dos encômios. Eu - é só vitória"!
O "Fogão" - é só empates e derrotas!

Será que o Kibernetes resolveria este problema quanto à liderança do Joel Santana? Vou consultar os meus universitários.

Enquanto isso, vou ler sobre os atos proféticos desses líderes ensandecidos, ali no Alvo Como A Neve.
Até amigo

Alberto Couto Filho disse...

Amado Pedro Henrique,

Fez-me bem ser visitado pelo "garoto" de Caparaó, prestes a despedir-se dos "teen" (gostei dessa).
Quanto aos elogios, recebo-os com algum constrangimento, pois aqui no Rio sou torcedor do Botafogo, o que minimiza o valor dos seus encômios.
Enquanto isso......KIBERNETES neles!!

Pedro Henrique disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Pedro Henrique disse...

(Muitos risos)

A Paz do Senhor Jesus, amado irmão Alberto!

Vejo que descobri outra qualidade do irmão (ser bem-humorado, [mais risos]). Além do Botafogo e outros times, creio que a Seleção Brasileira precisa tomar uma dose do remédio a cada quatro anos...

Bom, brincadeiras à parte, também quero ter a honra de ver os teus comentários nos "Atos 'proféticos'...". E não deixe de usar teu bom-humor, pois a Apologética séria, quando feita com uma pequena dosagem deste, se torna mais agradável.

Um grande abraço,

P.H.

Alberto Couto Filho disse...

Querido amigo e irmão,
Pastor Carlos Roberto Silva,
Alguém já lhe disse que a obediência fortalece o humilde, enquanto responsabiliza o mentor que, dentre outras qualidades, precisa ser corajoso, compassivo, hábil e persuasivo?
...E tudo começou com aquelas “Sementes do Mal”
Corajosamente, dissemos àquele transtornado e camaleônico irmão: “SE DIRIGIR, NÃO BEBA”. Nossa orientação esteava-se, naquela ocasião, na epístola de Paulo aos Efésios (Ef 5:11,18);
Compassivamente, buscamos a recuperação daquela VÍTIMA DA “SANTA QUEIMA” DE ARQUIVO, recomendando-lhe o uso do remédio ‘OSC’ (orai sem cessar), coadjuvante do KIBERNETES, contido em (1Ts 5:17);
Habilmente, afastamos aquele irmão (?), de falsidade na boca e perversidade nos lábios, cuja “IMPERTINÊNCIA” estava a sugerir o contido em (Pv 4:23,24);
Persuasivamente, o coração do nobre amigo e a mestria da sua boca, proveram-me o necessário incentivo para criar este meu despretensioso blog. Veja que lhe obedeci, mesmo porque precisarei valer-me deste espaço para divulgar o livro que, breve, será publicado, em nome de Jesus (Pv 16:23:24).
Se o KIBERNETES, conforme a sua bula apresenta a postura conselheiral/ provedora de direção e de apoio e a mentoria, como componentes, é fácil atestar que o meu dileto “amigão”, quando ainda líder/paciente valeu-se de super dosagens para atingir o seu estágio atual – Líder Servo/Transformacional de inconteste competência.
Ligue não – sou assim mesmo
Em Cristo, que nos ama e nos guarda
Alberto

Alberto Couto Filho disse...

Pr Luiz Fernando
Graça e paz,
Seu comentário, por certo, valoriza sobremodo este nosso humilde espaço.
Quanto ao repasse do link, fique a vontade para fazê-lo – mais honrado sentir-me-ei.
O Kibernetes, sem dúvidas, é o medicamento indicado para o tratamento das nossas lideranças, simultaneamente com aquela ASSEPSIA GERAL, orientada pelo ilustre mestre (excelente postagem!).
Como disse o amigo, é absolutamente necessário o afastamento dos germes patogênicos nessa área. O genérico Kibernetes está agora (a marca de referência sempre esteve) a combater aquelas infecções, apontadas na bula como Indicações.
Julgo importante frisar que o insigne ministro já apontara, lá pelos idos de setembro de 2009 alguns claros sintomas de que nossas lideranças já estavam infectadas pelo mal – o estado mórbido já era evidente:
Extensão Territorial ao invés de Profundidade Espiritual (crescimento); Investimentos em Obras Faraônicas e nada ou quase nada investido em Missões; A emoção a superar a Razão; O comando entregue a Mamon; Os “revelamentos” e “profetadas”, substituindo o Teológico; A absurdez do Pragmatismo superando a importância da Palavra de Deus.
Àquela época o nobre pastor, como outros verdadeiros líderes, já se apercebera que aqueles sintomas tinham origem no acometimento do mal da ineficácia daquelas lideranças, carentes de uma assepsia e de um antídoto para combater o veneno que infectara os líderes das igrejas doentes e raquíticas.
Contudo, vamos continuar a crer que ainda há esperança para a igreja de Cristo – Oremos sem cessar.

Alberto Couto Filho disse...

Meu amigo Pastor Sergio,
Meu espaço foi enriquecido com a sua lúcida participação.
O nobre pastor também já havia nos advertido sobre a presença do mal, através dos sintomas apresentados na postagem CAVANDO CISTERNAS ROTAS:
A maneira humana de satisfazer necessidades espirituais criando doutrinas segundo suas próprias concupiscências; A busca do prazer nas coisas do mundo; aceitação do sincretismo religioso; a nefasta teologia da prosperidade, indicando a obtenção do dinheiro fácil; a transformação de cultos em shows e outras aberrações, que poderiam ser citadas nas Indicações do medicamento
E hoje, podemos apresentar à comunidade cristã o Kibernetes, com composição, propriedades e interações medicamentosas destinadas a debelar a doença da ineficácia dos nossos líderes.
Observe que Jeremias por 40 anos apontou os sintomas da doença, nos reinados de Zedequias e de Jeoaquim, que desprezavam a Palavra, por estarem infectados pelo mal.
Eu creio na eficácia do produto, o genérico do Senhor Jesus, mas por ser crônico o estado mórbido das lideranças pós-modernas, o tratamento terá de ser prolongado.
Não consta na bula, mas a suspensão do tratamento através do kibernetes, tem como reações adversas a mudança de atitudes e de comportamento de muitos dos nossos líderes.
Volte, sem nos enciumar com suas andanças em Porto Velho , onde muita gente foi edificada com a sua pregação.

Leandro Mello disse...

Alberto,

Um belo texto.

Nossa vida cristã seria tão mais fácil se todos, líderes ou não, usassem na plenitude o poder do nosso remédio, o Senhor Jesus, para a auto e constante transformação de nosso caráter.

Seria interessante enviar uma carta contendo o Kibernetes para alguns pastores que conheço. Tenho certeza que seria de grande ajuda.

Um abraço e que Deus continue nos abençoando.

Leandro Mello

Alberto Couto Filho disse...

Prezamado Leandro
Meu dileto sobrinho

Ai está você, enriquecendo o modesto espaço de seu tio, na blogosfera, com inteligentes observações.
É isso mesmo: quem não faz uso da "marca de referência", ou seja, de Jesus Cristo, deveria mesmo usar este seu genérico.
Minha dúvida consiste na quantidade a ser produzida, a julgar pelo expressivo número de pastores carentes do uso dessa medicação.
A expressão "alguns" demonstra a sua generosidade e complacência - dignas de um autêntico servo do Senhor.
Volte sempre.
Seu conservo nEle
Alberto Couto Filho

João Paulo Fernandes disse...

Publiquei um texto seu no Veshame Gospel.Deus abençoe!

Postar um comentário

Pesquisar assuntos, temas ou postagens

MILAGRES

Veja quem nos visitou recentemente