Seguidores

domingo, 3 de junho de 2012

A FRAGILIDADE DO HOMEM


DE ISAIAS (701 aC) a CAROLINE (2012 Dc)
Por Alberto Couto Filho


Olá leitores queridos,
Mensagens simpáticas recebidas estão a me dizer do alarido, do estrépito causado por esta minha ausência que, na verdade, representa um indispensável silêncio de mim, tempo em que meu exíguo tempo é consumido pela construção da minha casa, meu lar, meu ninho. Queixas de saudade, lamentações, “jeremiada” não importuna, fazem com que este velho vaso se sinta amado, lembrado.
Pastor Guedes, Missionária Cleusa Klein, Pastor Newton Carpintero, Pastor J Cavalheiro, Waldir Galis, Adriana/Joinha, Evanir/Viagem – o que faço sem o amor de vocês em mim? Obrigado pelo seu carinho.
Seguidor da justiça, da fé, do amor e da paz; escolha do Criador, obreiro aprovado e disciplinador de oponentes; vejo-me como um modesto “utensílio para honra” dos que acompanham minha luta para expurgar do âmbito cristão os falsos mestres/profetas, rejeitando e tentando eliminar erros e pecados desses que se gloriam na lei, mas que por transgredi-la desonram ao Senhor, fazendo com que Seu Santo nome seja blasfemado entre os de fora.
Esforço-me em seguir as instruções contidas na segunda carta de Paulo a Timóteo, intentando a busca pela purificação para estar preparado para toda a boa obra. Posso até não obter resultados, mas prossigo na luta pela erradicação da prática de coisas inconvenientes, males cometidos aleivosamente, sob a égide de uma espúria teologia que apregoa: “Crede em nossos profetas e prosperareis”, “Deus abomina a pobreza”, “As bênçãos de Deus são proporcionais às ofertas voluntárias” e coisas más assim.
A infringência a falaciosas teologias redunda em maledicência e tolos desafios daqueles que as professam, com o propósito de denegrir a imagem dos que os combatem e não se afastam da sã doutrina. Em suas bocas, cheias de furor e maldição, suas línguas, afeitas a urdir enganos, proferem ofensas enquanto confessam que o senhor deles é Mamon.
Que eles retornem ao amor antigo; que desçam de novo à casa do oleiro; que se coloquem às mãos do Criador, certamente insatisfeito com sua fragorosa queda, decorrente do enunciado de doutrinas heréticas. Se houver arrependimento, o Senhor lhes dará nova oportunidade, juntando os cacos e moldando um novo vaso.
Paulo já nos advertira através de carta a Timóteo que aqueles falsos mestres voltariam às fábulas, desviando-se da verdade, mediante as falácias dos doutores que os cercariam, por não mais suportarem a sã doutrina e de conformidade com as suas próprias cobiças. Era como se sentissem comichão nos ouvidos. Os que os seguem, hoje, lembram-nos o clamor dos cegos espirituais de Israel àqueles profetas, como descrito no Livro do profeta Isaias:“Não profetizeis para nós o que é reto; dizei-nos coisas aprazíveis, profetizai-nos ilusões”
Neste meu retorno estou reproduzindo uma mensagem da minha querida e abençoamada irmã Carol, palavra ministrada em culto realizado numa de nossas congregações, para que refletíssemos sobre a fragilidade do homem.
·       No livro de Isaias observamos que, na visão daquele profeta, imagem do barro (nós os homens), é realçada. Ele é como matéria-prima para fazer vasos, quando nas mãos do oleiro;
·         Na palavra de Deus que veio a Jeremias, a imagem do oleiro (o soberano Deus) é enfatizada. Desde que estejamos em suas mãos, Ele moldará nosso caráter a Seu bel-prazer para que O sirvamos como melhor Lhe aprouver;
·         Na ministração da amada irmã Carol o destaque é para a não submissão do barro ao oleiro. Deixar-se nas mãos de Deus, na visão do homem, se pecador perfeitamente identificado, é confessar sua ação delituosa; é ser flagrado cometendo o ilícito bíblico; é algo assustador, ele imagina. Inquietude, insensibilidade, inconstância, insegurança, autossuficiência, são algumas das razões citadas como impedimento à moldagem do vaso.

>>No esboço do seu Livro, no primeiro volume de juízo e promessa gerais, Isaias prega o juízo contra almas cegas que tentam iludir a Deus (29:1-29) e confronta a confiança no homem com a confiança em Deus (30:1-33). O filho de Amoz enfatiza a doutrina de Deus, em Sua onipotência, onisciência e amor redentor, destacando a Verdade Absoluta – a Palavra de Deus, observando que nós os homens (o barro) nunca saberemos mais que o oleiro.

>>Jeremias, profeta guerreiro de Deus, demonstra em seu Livro o reflexo da angústia espiritual ocasionada pela apostasia da sua época. O filho de Hilquias realça as ações e atitudes de Deus demonstrando que a Sua vontade prevalece sobre a nossa vontade. No texto em que o profeta narra a sua visita à casa do oleiro, ele destaca a Soberania Absoluta de Deus quando observa que o oleiro (o Soberano Criador) jamais faz aquilo que o barro deseja, mas sim o que Ele quer.

>>O texto da abençoadíssima irmã Carol fala da insubmissão do homem; da sua relutância em entregar-se ao oleiro; do pavor que tem ao ver-se personalista, egoísta, inflexível, não perdoador. O destaque da sua mensagem é o incondicional amor de Deus pela sua criação.
Alberto Couto Filho
“A fragilidade do homem”


Jr 18:1-10
Somos como um vaso de barro; barro que se desmancha n’água. Por sermos frágeis, qualquer movimento brusco pode nos quebrar.
É lindo sermos comparados por Deus a vasos de barro. O Senhor, no versículo 6, pergunta: “Não poderei Eu fazer de vós como fez esse oleiro, ó casa de Israel?” 
A seguir, como se respondesse à Sua própria pergunta, Ele diz: “Eis que como o barro na mão do oleiro, assim sois vós na minha mão, ó casa de Israel”.
O Senhor não precisa que venhamos responder à Sua pergunta. Mediante Sua grandiosa soberania, Ele responde por si só.     
Por que, então, relutamos tanto na mão do oleiro? Por que nos tornamos como ovelhas inquietas e agitadas quando nosso pastor está tirando os carrapichos? Simplesmente porque não confiamos ao nosso Deus, a nossa vida, o nosso maior tesouro.
Em um momento da nossa caminhada torna-se fácil sabermos que Jeová Jireh vai prover nossas dificuldades financeiras, nossas necessidades emocionais e tudo aquilo que precisa vir de fora.  Todavia, como é difícil para o homem confiar em Deus, para que Ele transforme a pessoa que somos.
Quanto mais nos aproximamos da Luz reparamos melhor nossos defeitos, nossas falhas, nossos pecados e nos apavoramos em ver que somos egoístas e egocêntricos. Assim, nós homens, imaginando que podemos nos autotransformar, falhamos miseravelmente.
Parece que Davi sofreu por esta razão. No Salmo 31, versículo 10, ele relata: “...a minha força debilita-se por causa da minha iniquidade e os meus ossos se consomem”. Mas Davi sabia a quem recorrer. No versículo 14 ele exclama: “Quanto a mim, confio em ti, Senhor. Eu disse: Tu és o meu Deus
Deus nos pergunta: “Ó homem, quem és tu que a Deus replicais? Porventura a coisa formada dirá ao que a formou: Por que me fizeste assim?” (Rm 9:20:21)
Então, por que replicamos a Deus com as nossas ações? Por que, simplesmente, não olhamos para dentro de nós mesmos e, ao encontrarmos o monstro que abrigamos, o entregamos ao Nosso Deus que é poderoso para transformar um vaso de barro em vaso de honra, esse que carrega o bem mais precioso do mundo – o Espírito Santo de Deus?
Uns olham para si e simplesmente se escondem e acham que o Senhor nada sabe; se envergonham e preferem fingir que nada existe. Outros se desesperam, se angustiam e vivem o resto de suas vidas tentando  transformar-se pelas forças de seus braços. Nenhuma das posturas irá surtir qualquer efeito.
Tiago nos responde sobre o que fazer em Tg 4:8-10: “Chegai-vos a Deus e Ele se chegará a vós. Limpai as mãos, pecadores; e, vós de duplo ânimo, purificai o coração; senti as  vossas misérias e lamentai e chorai; converta-se o vosso riso em pranto  e o  vosso gozo em tristeza. Humilhai-vos perante  o Senhor e Ele vos exaltará”.
Esta exaltação proposta por Tiago não se refere ao poder ou à riqueza – é exaltação de vencer o pecado e de vencer a fragilidade; é submeter-se ao diabo e afastar-se dele.
Em Tg 1:2-4 lê-se que devemos ter gozo ao cairmos em várias tentações, pelo lucro espiritual que elasnos proporcionam, pois que toda provação, em confirmando nossa fé, produz paciência (perseverança) e confiança no que Deus fará. Têm-se, também em Rm 5:3, que devemos nos gloriar nas próprias tribulações, pois elas produzem a mesma paciência (perseverança).
Por final, devemos lembrar a resposta que Paulo, o apóstolo das gentes, recebeu de Deus, após ter orado para que o Senhor tirasse o espinho na sua carne – “a minha graça te basta”.
É o Senhor nos falando: Filho, filha, minha graça te basta, não precisas de mais nada.
...E lembrar que temos uma promessa: Aquele que começou a boa obra a aperfeiçoará até o dia de Jesus Cristo.
Caroline Santos Borges

Comunidade Evangélica Fonte das Águas Vivas

11 comentários:

Newton Carpintero, pr. e servo. disse...

Caro irmãozão Alberto Couto,

A paz amado!

Bom tê-lo de volta.

Afinal, este é o seu espaço para transferir experiências, incentivos, sugestões e sustento para nós blogueiros, que por descuido de alguns, somos mal interpretados, ao sermos chamados de idiotas e mal conduzidos por contrariamos as regras da falácia da prosperidade.

A bem da verdade, com muitas e reprovadas questões, estas repudiadas pelo mal senso, que somente prestigia aos interessados por esta estrutura do Final dos Tempos, seguimos em contraste com os que desejam o chamado especial de "VASOS DE OURO".

Os "VASOS DE OURO", desejam modelar todos os homens e as mulheres, com a sua própria formosura.

Esquecem que o Senhor se alegra quando nos colocamos diante dEle, como VASOS de BARRO.

O Senhor nos garante, como Vasos de Barro a posição toda especial de sermos considerados como Vasos de Honra e não como "VASOS DE OURO".

O engano é a consequência da concupiscência que se "ilumina", por si só, e segue o trágico caminho da carne em uma cegueira total, e bem estimulada pela necessidade do vil metal para a própria satisfação.

A igreja está sufocada pelos plantadores de sementes e tomadores do direito de DAR COM ALEGRIA, o que for da prosperidade, e não dar com alegria aos que pregam sobre prosperidade.

A fragilidade do homem, somente poderá ser verificada, quando ao sentir-se fortalecido por Deus, plenamente em sua misericórida, bondade e direção, posicionar-se como um Vaso de Barro e receber o benefício de ser considerado como um Vaso de Honra.

Neste momento, haverá a manifestaçção do Evangelho com Simplicidade e a Salvação dos que entregam-se a clausura, pelas heresias que cegam, assaltam e tornam sem sabor, o Evangelho da Verdade em muitas vidas que caminham à perdição.

O Senhor seja contigo, nobre Allberto,

O menor.

Cleusa Souza Klein disse...

Graça e paz... Amado irmão Alberto... Agradeço sua visita acompanhada de suas amáveis palavras. Meu sincero reconhecimento por sua bela postagem.

“Eis que como o barro na mão do oleiro, assim sois vós na minha mão, ó casa de Israel”.
Junto com essa resposta do Pai, parece que ouço outras palavras como a que disse a Jacó: "Vc quer lutar comigo Jacó... quer a minha benção com seus termos... quer continuar vivendo do mesmo jeito que já viveu?? Fazendo as mesmas coisas que já fez, com a mesma índole? Assim não dá Jacó, desse jeito é impossível te abençoar, presta atenção Jacó... Eu te conheço desde que estava na barriga de sua mãe, você é um manipulador Jacó, você é malandro Jacó, você é pilantra Jacó, você enganou seu pai, roubou seu irmão Jacó!!! Você acha que engana a Deus Jacó?
Porque temos que lutar com Deus para poder ser abençoados por Deus? Precisamos ser feridos, quebrados para que Deus mude o nosso nome? Ou Deus ganha, ou a luta não acaba até sermos feridos como ferido foi Jacó. Queremos negociar com Deus como negociamos com todo mundo? A verdadeira Teologia da prosperidade está em Deuteronômio 28. Nessa prospera teologia eu acredito.

A conclusão é que, o homem seria bem melhor se todos tivessem a oportunidade de presenciar e sentir a fragilidade humana. “Vós não sabeis o que sucederá amanhã. Que é a vossa vida? Sois, apenas, como neblina que aparece por um instante e logo se dissipa”. Tiago 4,14

Abraços Fraternos

Carol Borges disse...

Agradeço imensamente pela oportunidade de ter essa mensagem postada. Compartilhar o que o Senhor tem me dado e mostrado em uma geração apóstata e insubmissa ao Senhor. O que desejo é ver pessoas com o coração totalmente disposto para Deus, pessoas como David Brainerd que se entregaram totalmente para a obra do nosso Senhor, enfrentando até a si mesmo.

Ele morreu novo, doente, nos olhos humanos, principalmente de hoje em dia, até derrotado, mas com certeza ele se levantará para receber tamanho peso de glória. O que eu desejo é que nessa geração encontre-se pessoas assim, que ao chegarem aos céus, verão a alegria de Deus ao nos recebermos, porque fizemos aquilo que ele queria.

Adriana disse...

Oi,Alberto!

Eu nem preciso perguntar se tá tudo bem,por que é fácil descobrir que sim,né?
E se não estiver tudo bem tbm,e daí?
Se temos DEUS temos Tudo!

De verdade que fica difícil de explicar por que somos assim...Não entendo!
Seria tão bom para nós se nos entregássemos completamente,sem medo algum nas mãos dEle,para que Ele trabalhe em nós Seu querer,Seu caráter,Sua pessoa,mas não,nos relutamos...relutamos e relutamos.
Que triste!
O barro precisa entender que Ser trabalhado pelo Oleiro é receber um favor grandioso.
O Senhor deseja nos moldar por que sabe que tem que ser assim,pois sem a expressão de DEUS em nós não reinaremos com Cristo.
Até que Cristo seja formado em nós...Que Ele seja formado em nós.
Que dia após dia Sua vontade seja realizada nas nossas vida.
Que nós venhamos aprender a morrer para aquilo que queremos e desejamos a cada dia e que Ele nos molde,nos transforme para honra e glória de Seu Lindíssimo e Poderoso Nome.

Quanto a mim,barro que sou,que receba das Mãos do Senhor Sua pessoa refletida em meu caráter,em minha vida para ser benção na vida de todos os que conhecem.

O tempo é hoje,é agora!
Tudo mostra que não podemos ficar pensando,analisando com mente se sim ou se não,se hoje ou amanha,mas temos que nos voltarmos ao Espírito e deixar DEUS trabalhar nós URGENTEMENTE!
Que o Oleiro faça de nós vasos de honra,usados para edificação do Corpo de Cristo.

Eu só posso agradecer a DEUS por usar os vasos de honra para nos edificar...Obrigada!
Belíssima postagem!

Que o Senhor te abençoe!
Um abraço!

Patricia Galis disse...

Amado irmão como é bom vê-lo novamente. Sem duvida alguma que és muito querido.
Quanto a mensagem as vezes os vasos estão tão arrebentados que é difícil olhar para Deus e confiar, não porque ele não pode nos fazer algo, mas exatamente porque pode e não o faz. É como disseram somo frágeis humanos que vimos limitadamente, muitas vezes estamos tão secos que é complicado. Mas toda via, ainda na minha angustia espero firmemente nas promessas no Senhor, pois sei que ele tem o melhor para todos seus filhos.

MARIO CESAR DE ABREU disse...

PAZ AMADO ALBERTO!

É COM ALEGRIA QUE O VEJO NOVAMENTE,POSTANDO PALAVRAS SÁBIAS E EDIFICANTES NO BLOG DO ALBERTO.
SOBRE OS FALSOS MESTRES E ENSINOS DE DEMONIOS,TEMOS TIDO "NOVIDADES" A CADA SEGUNDO;OS "DOUTORES DA LEI" SE ESFORÇAM PARA CONDUZIR O POVO PARA O INFERNO E SE REGOZIJAM COM O "LUCRO" FINANCEIRO QUE ENCHEM OS SEUS "CELEIROS"(BOLSOS);MAS DEUS NÃO SE DEIXA ESCARNECER E POR FIM,AQUELES, ENCONTRARÃO O JUÍZO VINDOURO,SE NÃO SE ARREPENDEREM.
EM CRISTO,
MARIO

Pastor Guedes disse...

Caro Amigão Alberto,

Não sei o que é melhor, seu texto introdutório ou o texto da Carol. Ambos são muito bons e é por isso que não pode faltar um Couto como você nesse universo blogueiro.

Fiquei muito feliz em ver minhas queixas atendidas e seu retorno de forma "triunfante" com mais um texto imperdível.

Sabe Alberto, tenho sentido a blogosfera tão empobrecida ultimamente que já pensei em parar de escrever também. Todavia, pessoas amigas como você e os outros me levam avante.

Abraço.

Ps. Você sabe meu endereço (eletrônico). Escreva e vê se termina logo essa casa, essa construção rsrsrsr

Anderson Andujar disse...

Bom ouvir (ler) de novo o senhor.

Como sempre palavras que merecem nossa reflexão atenta.

Prometo voltar com mais frequencia de agora em diante, é que minha filhinha nasceu mês passado e meu tempo ficou meio escasso.

Abraçãoooo...

Demétrius A. Silva disse...

Caro irmão Alberto.
Excelente mensagem.
Fico feliz em ler no texto apresentado sobre seu retorno as atividades do blog.
Que Nosso Deus em infinita graça e misericórdia, continue a abençoa-lo abundantemente.
Muita paz e saúde ao querido irmão e família.
Sucesso na construção de seu lar.
Abrçs do leitor e irmão...
Demétrius A. Silva
http://ciencia-religiao.blogspot.com.br/

disse...

Agradeço a Caroline por tão forte palavras que me caíram como uma luva. Obrigada precisava ouvir.
Tiago nos responde sobre o que fazer em Tg 4:8-10: "Chegai-vos a Deus e Ele se chegará a vós. Limpai as mãos, pecadores; e, vós de duplo ânimo, purificai o coração; senti as vossas misérias e lamentai e chorai; converta-se o vosso riso em pranto e o vosso gozo em tristeza. Humilhai-vos perante o Senhor e Ele vos exaltará". Deus falou comigo através deste artigo. Isso começou de madrugada e agora só veio confirmar o que Deus quer me mostrar, ou seja,a minha insignificância diante do oleiro. Meu querido amigo estou com saudades de ti, ando atribulada com muitas coisas para se resolver o oleiro ja esta usando a lixa neste vaso e esta doendo,rsrs a lixa dói né?? Mas logo o vaso estará do jeitinho que Ele quer.Amo-te demais em Cristo Jesus!

*Escritora de Artes* disse...

Olá, belíssima mensagem!

Ps. Respondi seu e-mail, quando postar meu poema avise-me para que eu possa contemplá-lo aqui no seu espaço.

Saudações

Postar um comentário

Pesquisar assuntos, temas ou postagens

MILAGRES

Veja quem nos visitou recentemente